7 de ago de 2013

Para Datagro - R$ 210 por MWh compensariam aporte em usina de biomassa

A Datagro estima que a tarifa pelo megawatt-hora (MWh) que compensaria os investimentos das usinas abastecidas com biomassa da cana-de-açúcar é de R$ 210, de acordo com o presidente da consultoria, Plínio Nastari. O preço-teto estabelecido para o leilão A-5, de compra de energia para 2018, que ocorrerá neste mês, é de R$ 140. Cerca de 30 projetos de biomassa, com aproveitamento de diferentes resíduos, estão cadastrados na concorrência. 
´Não há expansão do setor sucroalcooleiro sem bioeletricidade. O modelo de expansão da capacidade instalada não ocorrerá sem o binômio cogeração/etanol´, defendeu. Nastari participou do 14.º Encontro de Energia, promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na capital paulista.

Produção
Nastari também comentou as geadas observadas, nas últimas semanas, em regiões do Paraná, do Mato Grosso do Sul e de São Paulo. Segundo ele, o fenômeno afetou entre 60% e 80% da cana-de-açúcar a ser colhida das áreas atingidas. A Biosev, por exemplo, emitiu fato relevante informando ao mercado que os canaviais da companhia, que alimentam três unidades industriais (Maracaju, Passa Tempo e Rio Brilhante), em Mato Grosso do Sul, foram comprometidos pelas temperaturas abaixo de 0ºC. A empresa prevê potencial redução da moagem nas usinas, mas ainda não mensurou o impacto das perdas.
No Nordeste, o atraso da safra deve comprometer a oferta na região. Para compensar a demanda que, por sua vez, está crescendo, segundo Nastari, deve haver aumento da importação de etanol neste ciclo (2013/14). Ele estima que o volume total chegue a 520 milhões de litros, superior a 10% do total observado em 2012/13. Esse fluxo de compra do biocombustível no mercado internacional será mais intenso entre agosto e novembro.  Fonte: UDOP

Nenhum comentário:

Postar um comentário