2 de ago de 2013

Grupo criará entidade para liberar carro diesel no Brasil

Até o fim deste mês será anunciada a criação formal de uma associação com o objetivo de articular esforços para a liberação das vendas dos carros diesel no Brasil. A entidade já conta com o patrocínio de cerca de uma dezena de empresas do setor, a maioria fornecedora de componentes e sistemas para motores diesel. A proibição é única no mundo e já vigora no País há 37 anos. A ideia é informar sobre os benefícios do combustível, que tem rendimento energético maior do que a gasolina ou etanol, para convencer governo e sociedade de que não é mais necessário proibir sua utilização na frota de veículos leves.

A legislação atual só permite o uso de diesel para caminhões e ônibus, além de veículos leves com capacidade de carga superior a uma tonelada e com tração 4x4 reduzida - onde se enquadram utilitários esportivos e picapes médias em geral. Em 1976, quando a norma foi baixada pelo governo, o temor era a falta de diesel no País, porque todas as refinarias foram projetadas para produzir mais gasolina. Na época, nem existiam tantos carros a diesel para justificar a proibição, mas havia a preocupação de que um possível aumento dessa frota poderia provocar um colapso. O Brasil estava altamente endividado no exterior, com problemas para aumentar importações do combustível que não podia produzir aqui, ao mesmo tempo em que dependia - e continua dependendo - do diesel para todo o transporte interno de carga.

Décadas depois, os defensores da liberação ponderam que não há mais motivos para a proibição - nem mesmo o argumento do possível aumento da poluição atmosférica causada pelo combustível de má qualidade produzido no País, com alta concentração de poluentes. O Brasil em breve terá refinarias capazes de produzir diesel com baixo teor de enxofre, o S10, usado em modernos motores Euro 5, já introduzidos no mercado nacional em 2012. A tecnologia evoluiu e hoje carros pequenos a diesel poluem menos do que similares a gasolina, são cerca de 30% mais eficientes e, por consequência, têm baixo consumo e baixa emissão de gás de efeito estufa, o CO2. Na Europa, dependendo do modelo, automóveis rodam de 25 a até 100 quilômetros com um único litro de diesel.

Alguns membros da futura entidade pró-diesel avaliam que já é hora de liberar o carro a diesel no Brasil e deixar o mercado se autorregular. O argumento é que a regra iguala um tipo de veículo a entorpecentes ou jogos de azar, com o agravante de que automóveis diesel não estão disponíveis nem de forma ilegal - e portanto não há nada mais proibido do que isso no País.

Pedro Kutney
Fonte: Automotive Business
Mais informações/fonte: UDOP

Nenhum comentário:

Postar um comentário