3 de abr de 2014

Motores a álcool - Professor Antonio Moreira dos Santos

O professor Antonio Moreira dos Santos, do Departamento de Engenharia Mecânica, conta sobre as pesquisas pioneiras do motor a álcool da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). O texto será encaminhado para compor as publicações comemorativas dos 80 anos da Universidade de São Paulo.

"A Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (EESC-USP) teve um grande papel no processo de desenvolvimento do motor a álcool. Este processo teve início com o professor Urbano Ernesto Stumpf que foi professor da EESC no período de 5 de abril de 1960 à 30 de maio de 1968, quando deixou a EESC para ir para a Universidade de Brasilia e posteriormente regressar ao ITA. No período que esteve na EESC o professor Stump juntamente com o professor Afrânio Roberto Zambel e o professor Duilio Venanzi montaram o Laboratório de Motores da Cadeira de Física Técnica e Máquinas Térmicas. O professor Stumpf era de pouco escrever e de muito agir.

Até hoje as pessoas mais idosas desta Escola lembram-se das suas pesquisas e desenvolvimentos com motores movidos a álcool, motor Stirling, Hovercraft e pulso-jato. Em 1962 o professor Stump orientou o então aluno de graduação da EESC, Clóvis Michelan, no seu trabalho de conclusão de curso que resultou na dissertação "Estudo da Aplicação do Álcool Etílico Hidratado Como Combustível de Motores de Combustão Interna", 90 pág., 1962. Por considerar um documento histórico, entreguei esta dissertação à Direção da Biblioteca da EESC que a guarda em separada por dificuldade de adequar os dados catalográficos à atual sistemática da biblioteca.

Em 1968 o professor Stump foi para Universidade de Brasília. Clóvis Michelan tornou-se um grande engenheiro, tendo trabalhado por muito tempo na montadora de automóveis e caminhões Chrysler. O professor Stumpf, juntamente com o professor Romeu Corsini foram dois grandes incentivadores dos desenvolvimentos dos motores a álcool na Escola de Engenharia de São Carlos e em todo o Brasil. A semente plantada por Stumpf na EESC vingou. Por sua influência o professor Duilio Venanzi, orientado pelo professor Romeu Corsini, defendeu a tese "Contribuição à Técnica do Emprego do Álcool Etílico em Motores do Ciclo Otto", EESC-USP, São Carlos, 202p., 1972. Por volta de 1973 o professor Corsini, o professor Stump e outros grandes entusiastas do álcool fizeram um importante trabalho de divulgação e convencimento das autoridades governamentais que acabaram por lançar o Programa Nacional do álcool (PROALCOOL). Em meados de 1975 o professor Stumpf convida Clóvis para integrar uma equipe no CTA/ITA com a finalidade de aprimorar o uso do álcool como combustível e divulgar a tecnologia no Brasil.

O professor Duilio Venenzi orientou diversas teses de doutorado entre as quais se destacam:

- Desempenho de motor de ignição por centelha com álcool etílico pré-evaporado. Professor Samuel Washington Célere, 145 p., São Carlos, 1980.
- Fonte alternativa de energia pelo aproveitamento dos óleos vegetais nos motores de ignição por compressão. Professor Severino José de Almeida, 115 p., São Carlos, 1980.
- Contribuições ao uso de combustíveis aditivados em motores de ignição por compressão. Professor Antonio Moreira dos Santos, 101 p., São Carlos, 1980.

Em 1978, o Laboratório de Motores do ITA-CTA-PMO, o Laboratório de motores do IPT, e o Laboratório de Motores da EESC-USP, passaram a ser os três primeiros membros de uma grande rede denominada CAT – Centro de Apoio Tecnológico, criada pelo Ministério da Indústria e Comércio destinado a aperfeiçoar os motores álcool, divulgar a tecnologia entre retíficas de motores e montadoras e a ensaiar e homologar os motores a álcool produzidos por retíficas e montadoras de automóveis. O Laboratório da EESC de São Carlos ficou encarregado de todo o interior oeste do Estado de São Paulo, Sul de Minas e Matogrosso do Sul. Pelo CAT FIPAI- EESC-USP atuaram os Engenheiros José Francisco Torres, José César Bender e Paulo Roberto Fernandes que saíram divulgando e desenvolvendo os motores a álcool em todas as retíficas desta grande região.

Até hoje o Laboratório de Motores da EESC segue os passos do professor Urbano Ernesto Stumpf no desenvolvimento de pesquisas com bio-combustíveis, formando profissionais que passam a atuar no ensino, na pesquisa e nas indústrias automotivas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário