24 de mai de 2013

Livro "Bioenergia & Biorrefinaria - Cana-de-açúcar & Espécies Florestais" é lançado


img6774
Os professores e pesquisadores Fernando Santos, Jorge Colodette e José humberto de Queiroz da Universidade Federal de Viçosa, acabam de finalizar o Livro "Bioenergia & Biorrefinaria # Cana-de-açúcar & Espécies Florestais", que está sendo lançado esta semana. A obra é direcionada aos produtores, professores, estudantes graduação e pós-graduação e o objetivo é contribuir para a promoção e divulgação de pesquisas e tecnologias que norteiam o conceito de Biorrefinaria nas Indústrias de Cana-de-Açúcar e de Espécies Florestais. A obra está dividida em 552 páginas com 20 capítulos relacionados com o setor sucroenergético e florestal. Apoiaram esta importante publicação a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), Kemira, Cenibra, Klabin, Renabio, Sada-Bioenergia, New Holland, Columbia, Energisa, CNA-Brasil, Deforsa e SIF. "Dentre as inúmeras fontes alternativas de energia, que incluem biomassa, nuclear, solar, eólica, hidrelétrica, geotérmica etc., a energia proveniente da biomassa tem sido muito investigada, especialmente pelo seu potencial de produzir os combustíveis líquidos que consomem fração significativa do petróleo hoje extraído no mundo", diz Fernando Santos. Com o ímpeto de se substituir os combustíveis de origem fóssil, pelo menos parcialmente, surgiram na última década os conceitos de biorrefinagem e biorrefinaria, segundo o autor. "No Brasil, a cana-de-açúcar e a biomassa de base florestal já respondem por mais de 60% da oferta de energia renovável do país, que possui uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo. Além disso, o aumento da produção de biocombustíveis, bioeletricidade e florestas energéticas é parte importante dos compromissos assumidos pelo governo brasileiro em sua Política Nacional sobre Mudanças do Clima. Isso porque esses produtos, como é o caso do etanol de cana-de-açúcar, têm grande capacidade de reduzir as emissões de GEEs no ciclo de vida quando comparados com seus substitutos fósseis. O uso energético, no entanto, não é a única alternativa ao processamento da biomassa, que pode ser convertida em uma série de outros produtos. Bioplásticos, químicos, óleos lubrificantes e solventes são alguns exemplos de materiais renováveis que podem ser obtidos a partir desta matéria-prima. Considerando-se o potencial agrícola dos países em desenvolvimento, transformar a biomassa em um vetor de desenvolvimento ainda é uma importante alternativa para estes países", afirma. Para tanto, de acordo com ele, é preciso conhecer os aspectos técnicos das cadeias produtivas da bioenergia, seus benefícios e desafios socioambientais e, por fim, identificar os investimentos e as políticas necessárias para tornar a atividade viável e atrativa economicamente. "Este livro aborda não só o cultivo e processamento da cana-de-açúcar e das espécies florestais nas chamadas biorrefinarias como também aspectos relacionados à sua sustentabilidade, discutindo as perspectivas de pesquisa e desenvolvimento para a expansão destas indústrias", finaliza. Para mais informações: fernandoasantos7@gmail.com. Fonte: Jornal da Cana

Nenhum comentário:

Postar um comentário