11 de abr de 2012

Nova tecnologia aproxima Novozymes de produção comercial de etanol celulósico

Uma nova enzima desenvolvida pela empresa de biotecnologia dinamarquesa Novozymes promete reduzir custos e aumentar os rendimentos na produção de etanol a partir de resíduos agrícolas, como a biomassa da cana-de-açúcar. Para o consultor de Emissões e Tecnologia da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Alfred Szwarc, a novidade lançada no início de março de 2012 é um passo decisivo na direção da produção em escala comercial de biocombustíveis avançados a partir de biomassa, os chamados biocombustíveis de 2ª geração. Segundo Szwarc, a rota enzimática é o caminho para tornar o etanol de segunda geração mais competitivo no mercado. "Trata-se de um avanço tecnológico muito importante para a viabilização comercial deste biocombustível, particularmente no Brasil em função da grande disponibilidade de matéria-prima, o bagaço de cana,” avalia o consultor da UNICA. Na opinião do presidente da Novozymes, Steen Riisgaard, o aprimoramento das enzimas representa “um passo adiante na transição de uma economia baseada no petróleo para uma economia de baixo carbono.” Fonte/mais informações: UNICA

Nenhum comentário:

Postar um comentário