4 de jul de 2011

R$ 300 milhões em pesquisa no IPT

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), vinculado ao governo do Estado de São Paulo, comemorou 112 anos anunciando a marca histórica de R$ 300 milhões destinados a investimentos em desenvolvimento de tecnologias. Etanol de bagaço de cana-de-açúcar, aviões com fuselagem de fibra de carbono, produção de silício com nível de pureza apropriado para a aplicação em células fotovoltaicas usadas na captação de energia solar e métodos de recuperação de solos contaminados são exemplos de pesquisas que representam desafios em campos do conhecimento nos quais ainda não há pleno domínio técnico no país. Neste ano, o IPT já está operando alguns dos equipamentos e instalações viabilizadas pelo programa de modernização que começou a ser executado em 2008. Parte da nova infraestrutura de pesquisa foi adquirida com apoio da FAPESP. Um dos novos recursos é o microscópio eletrônico de varredura, conhecido como MEV-FEG, que pode ampliar uma imagem em até 300 mil vezes e é utilizado em projetos de nanotecnologia. O IPT desenvolve também o projeto de uma planta piloto de gaseificação de bagaço de cana, que será instalada em Piracicaba, em área de 80 mil metros quadrados.O Laboratório de Estruturas Leves do instituto terá papel estratégico para o desenvolvimento de novos materiais para a aeronáutica, automobilística e outros ramos da indústria. O laboratório está sendo instalado no Parque Tecnológico de São José dos Campos. O IPT abrigará o mais moderno centro de pesquisas em bionanomanufatura do Brasil. Será um prédio de 8 mil metros quadrados para estudo de biotecnologia (desenvolvimento com organismos vivos), tecnologia de partículas (microencapsulação de componentes químicos e terapia medicinal, como em cosméticos), micromanufatura de equipamentos e metrologia. O novo laboratório de Ensaios Pesados do IPT atuará a partir de 2011 no suporte técnico, principalmente à Petrobras, para a exploração e produção de petróleo do pré-sal. O laboratório realizará testes de fadiga de longa duração em estruturas e equipamentos de grande porte, que são aplicados como elementos de ancoragem de plataformas. Mais informações: www.ipt.br/noticia/362-historia_de_inovacao.htm http://agencia.fapesp.br/14119

Nenhum comentário:

Postar um comentário